Estatísticas em Saúde Corporativa

Compartilhe com os amigos

7 situações de necessidades urgente de dados estatísticos mensais nas empresas.

Não tenha medo, os levante. Lute e não tenha preguiça, os acompanhe. Não tenha receio, os analise. Faça diferente, não fique parado, os MUDE. Acompanhe as Estatísticas em saúde corporativa.

1-     Perfil dos colaboradores: % de homens e mulheres, % de faixa etária, % de tempo na empresa, % médio de gestantes, quantos e quais deficiências. Muitas ações podem mudar com estes dados, por exemplo: Se a empresa tem 72% de mulheres, com certeza deve haver atividades voltadas para saúde da mulher. Se a empresa possui 41% de colaboradores acima de 50 anos deve-se dar importância à experiência em momentos de dilemas e cuidar das doenças que progridem com o tempo.

2–     Rotatividade alta? Cara, você tem problemas, não está no nível de normalidade, por que as pessoas não querem trabalhar para você? E os custos disso são imensos: exames, acertos, novos treinamentos, novos colaboradores que não sabem praticamente nada sobre seus processos, cultura e procedimentos, é começar do zero de novo.

3–     Relacionar metas a horas trabalhadas. Atingiu metas a qual custo? Se ele trabalha todo dia até altas horas, leva serviço para casa, atende telefone a noite, manda email domingo de manhã – ELE VAI ADOECER.

Proporcione qualidade de vida para sua equipe!

4–     Engajamento é mensurável, existem protocolos padrões e existem perguntas que você pode fazer a você mesmo:

  • Minha equipe gera ideias?
  • Busca soluções ou só reclama?
  • Me vê como carrasco ou se abre comigo?
  • Vai além do esperado ou só entrega o que pedi?
  • Comemora com vitórias da empresa ou fica cochichando pelos cantos?
  • Tudo é motivo para fugir do posto de trabalho?

5–     Quantos atestados, quantos afastamentos, quantos processos judiciais. Cruze os dados e enxergue os maiores causadores disso. Sinistralidade é dinheiro no ralo, é insatisfação no trabalho, é redução em produtividade.

6–     Seus colaboradores estão endividados? Passando dificuldade em casa? Fazendo horas extras para conseguir pagar contas? Então eles estão aflitos, agitados, nervosos e sem rumo.

7–     Nível de felicidade no trabalho – Não confunda rir o tempo todo com uma alegria extrema e estranha e a real felicidade no trabalho. Os problemas virão, os conflitos acontecem, as dificuldades aparecem do nada as vezes. Mas o cara levanta da cama de manhã com VONTADE, enfrenta as barreiras com animo, tem sensibilidade com os outros, luta e honra aquele lugar, não dá apenas seu intelecto, dá a sua energia.

Dica de Ouro: Implante um Programa Personalizado de Qualidade de Vida no Trabalho que levanta dados, gera soluções e implanta melhorias, com acompanhamento de resultados. Fique atendo as estatísticas em saúde corporativa com a Posturar.

Siga nosso canal no YouTube e acompanhe nossos vídeos sobre qualidade de vida no trabalho.

Facebook Comments

Compartilhe com os amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *