LER/DORT e Ergonomia

Compartilhe com os amigos

LER/DORT atinge 3,5 milhões de trabalhadores. Bursite, síndrome do túnel do carpo, tendinite, tenossinovite, epicondilite, dedo em gatilho, mialgias, síndrome do pronador redondo e diversas outras doenças fazem parte do grupo LER/DORT.

28 de fevereiro é considerado o Dia Internacional de Combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados do Trabalho (DORT)

Se engana quem acha que a causa de LER/DORT seja apenas a repetitividade; são várias as causas.

Uso de força em excesso, além do que aquele corpo aguenta, por exemplo: Elevar e sustentar uma carga, empurrar carrinhos pesados, exercer força para montagem e desmontagem de peças.

A postura adotada para trabalhar também é uma condição geradora de lesão, como: dobrar a coluna excessivamente para frente, elevar o braço acima do nível do ombro, inclinar a coluna com frequência.

E tem mais, a compressão mecânica gera impacto na articulação; compressão significar apertar a articulação, isso acontece em uso de ferramentas que vibram, em apoiar o punho ou cotovelo sobre a mesa por tempo prolongado, ao pular, subir e descer escadas e caminhão.

As doenças do trabalho são impactantes para empresa, podem ocorrer:

  • Faltas no trabalho;
  • Atestados Médicos;
  • Afastamento do Trabalho;
  • Custos com plano de saúde;
  • Retrabalho;
  • Processos Judiciais;
  • Redução da Produtividade.

Muitas ações podem ser tomadas para Prevenção em Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho, como:

  • Ginástica Laboral – foco em áreas corporais de maior exposição durante o trabalho
  • Yoga e Meditação – os fatores emocionais agravam os riscos primários de LER/DORT
  • Quick Massage – alivia tensões musculares e promove o descanso
  • Palestra de Ergonomia – ensinar e conscientizar sobre as posturas adotadas.
  • Programa de Gestão em Ergonomia

O Gerenciamento dos Riscos Ocupacionais (GRO) direcionado à ergonomia através do Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) tem como objetivo colocar em prática a Gestão em Ergonomia através de etapas importantes para proporcionar saúde, bem-estar e desempenho eficiente.

  • Identificar os riscos ergonômicos através da Análise Ergonômica Preliminar e Análise Ergonômica do Trabalho
  • Classificar o grau de risco, como baixo, médio, alto ou altíssimo risco de promover um dano à saúde
  • Criar um cronograma de ação de acordo com a criticidade encontrada
  • Treinar o Comitê de Ergonomia, um grupo de colaboradores que irão auxiliar na gestão em ergonomia
  • Detalhar as implantações com responsáveis, datas e custos iniciais
  • Acompanhar as melhorias ergonômicas e atualizar a classificação de riscos, a ficha de atualização ergonômica
  • Verificar dados estatísticos para evidência de redução de riscos

O Grupo Posturar atua há 15 anos em Programas Online e Presenciais em Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho em empresas de todo Brasil.

Facebook Comments

Compartilhe com os amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *